Conceito de banda sonora


Mai 31, 16

O primeiro passo necessário para poder descobrir o significado do termo banda sonora é determinar a origem etimológica das duas palavras que lhe dão forma:

• Banda, que parece emanar do germânico ou do franco consoante o que significar.
• Sonora, que deriva do latim. Em termos concretos, é fruto da união do verbo “sonare”, que se pode traduzir como “fazer ruído”, e o sufixo “-oro”, que é equivalente a “plenitude”.

O conceito de banda tem várias acepções. Pode-se tratar de um conjunto musical; um grupo de gente armada; um grupo juvenil; a parcialidade de gente que apoia alguém; uma cinta larga que se usa como distintivo; uma faixa; ou o intervalo definido de acordo com o campo de variação de uma grandeza física.

Sonoro é aquilo que soa ou pode soar. Também se pode tratar de algo que soa bem, soa muito ou faz que um som se ouça bem.
A noção de banda sonora, por conseguinte, refere-se à franja de um filme cinematográfico onde se encontra registado o som.

O conceito costuma estar associado à música de um filme ou de um videojogo.
Esta música pode ser seleccionada pelo realizador entre obras já editadas ou pode ter sido composta especificamente para o filme em questão. O habitual é que as canções que fazem parte da banda de som permitam reforçar as sensações que transmitem as imagens do filme.

Há que salientar que o filme que a honra de ser o primeiro com banda sonora não é outra que “O nascimento de uma nação” (1915), que foi realizada por D.W. Griffith. E é se escreveu uma partitura específica para ela que vinha a estar composta por composições populares e temas já clássicos que se agruparam para dar forma a essa produção.

Desde que se inventará o cinema até aos nossos dias, muitos são os filmes que viram a sua banda sonora se convertia em parte fundamental do seu sucesso. Este foi o caso de longas-metragens tais como “Pulp Fiction”, “O Padrinho”, “Titanic”, “Rocky”, “A missão”, “O guarda-costas”, “Grease”, “A ponte sobre o rio Kwai”, “E tudo o vento levou” ou “Casablanca”.

Todos esses são filmes que qualquer pessoa reconhece através de uma ou várias das canções que fazem parte da sua banda sonora.

E precisamente esse reconhecimento foi conseguido graças ao trabalho de compositores que trabalharam para o cinema com grande acerto. Entre aqueles estariam figuras como John Williams, Ennio Morricone ou Bernard Herrman, por exemplo.

É possível estruturar a banda sonora em três grandes partes. No princípio, aparece o tema de entrada ou início, que costuma ser a canção que acompanha os títulos do começo ou a primeira cena. Depois chega aquilo que se conhece como música de fundo ou incidental: o conjunto de temas que complementam as diversas cenas do filme. Por último, apresenta o tema de encerramento, que é a canção que toca enquanto aparecem os créditos finais.