Conceito de absolutismo




Nov 04, 11 Conceito de absolutismo

O absolutismo é um sistema de governo absoluto, no qual o poder reside numa única pessoa que manda/dá ordens sem prestar contas a um parlamento ou à sociedade em geral. O absolutismo foi muito usual entre o século XVI e a primeira metade do século XIX, época em que acabou por ser derrubado na sequência de diversas revoluções

As origens do absolutismo têm lugar em França, onde foi desenvolvida a teoria do direito divino do poder real (dos reis). Esta postura admite que certas pessoas foram escolhidas por Deus para governar. Aliás, nas versões mais radicalizadas, o monarca é considerado como sendo o próprio Deus.

De acordo com esta forma de governo, o rei é a lei, uma vez que é ele quem decide que coisas devem ser feitas e de que forma. As leis são promulgadas de acordo com os seus interesses e com os da nobreza, que aconselha o rei ainda que seja sempre este a tomar a última decisão.

Em geral, o rei absolutista mantém um tratamento paternal para com o povo, embora demonstre algum despotismo sempre que seja necessário.

O rei absolutista ocupa o seu trono de forma vitalícia. O poder é hereditário: à morte do rei, é o seu filho quem passa a tomar o seu lugar.

O rei também controla a igreja, principalmente no que toca à parte administrativa e a tudo o que estiver relacionado com as riquezas. As questões associadas à fé e às crenças ficam a cargo do clero.

Embora o poder esteja centralizado numa única pessoa, o regime absolutista conta com burocratas e funcionários públicos (responsáveis pelo correcto funcionamento do sistema), embaixadores e delegados (os quais assinam/celebram tratados comerciais e de guerra com outras regiões) e o exército (para manter a ordem).