Conceito de alienação




Set 23, 11 Conceito de alienação

Alienação é a acção e o efeito de alienar ou alienar-se (pronominal). Este verbo faz referência ao acto de transmitir/transferir a alguém a propriedade de algo (um bem, um direito), de deixar alguém fora de si, de causar espanto ou medo, de se privar de algo ou de se afastar do tratamento que se tinha com alguém.

A alienação pode portanto estar vinculada a uma distracção ou à falta de atenção. O conceito também está associado à loucura, isto é, ao estado mental daquele ou daquela que não se pode responsabilizar pelos seus actos pelo facto de ter perdido o juízo e de estar alucinado(a).

Por alienação entende-se o fenómeno ou a circunstância que priva o indivíduo da sua própria personalidade e que anula/invalida o seu livre-arbítrio. O sujeito alienado não pode actuar por sua conta, uma vez que se encontra dominado por aquilo que ordena uma pessoa ou uma organização. Em última instância, a alienação mental pode resultar da pressão que um individuo sente relativamente aos mandatos da sociedade em geral.

A alienação não é inata, pois surge como uma perturbação mental ou uma forma patológica de adaptação à realidade. O stresse, o ritmo frenético da vida moderna e o excesso de trabalho são algumas das causas que podem causar alienação no sujeito, que se reflecte num estado de perplexidade, incoerência, confusão no raciocínio e excitação psicomotora.

As circunstâncias mencionadas dão origem a uma espécie de auto-alienação (é o próprio individuo quem reage dessa maneira ao tentar adaptar-se aos estímulos). Noutros casos, a alienação pode ser causada em terceiros a partir do treino e do doutrinamento (por exemplo, no caso das seitas que tentam angariar novos membros).