Conceito de caneta óptica


Mai 27, 14

O instrumento de escrita mais comum com uma ponta por onde sai tinta, fechado num cilindro, recebe o nome de caneta. Uma pessoa, quando agarra a caneta com a mão, pode deslocar a ponta sobre um papel e marcar os traços necessários para escrever ou desenhar.

A óptica, por sua vez, é o ramo da física que se dedica à análise do comportamento, das características e das manifestações da luz, centrando-se nas suas leis e nos seus fenómenos. Aquilo que pertence ou que é relativo à visão também faz parte daquilo que se entende por óptica.

Estes conceitos permitem-nos fazer uma abordagem da noção de caneta óptica, um dispositivo fotossensível que permite interagir com um monitor ou um televisor. Trata-se de um periférico de entrada criado em 1952 pelo MIT que, uma vez ligado a um computador, pode substituir em algumas funções o rato, uma vez que permite seleccionar comandos num programa informático, introduzir/inserir informação, etc.

A caneta óptica dispõe de sensores luminosos que lhes permitem registar a luz emitida por um monitor. Posto isto, quando a caneta entra em contacto com certos sectores do ecrã, envia um sinal para o computador, o qual consegue detectar a sua posição e interpretar essa informação.

As canetas ópticas requerem de um determinado nível de intensidade da luz no ecrã. Caso contrário, os seus sensores não captam a luminosidade. Neste caso, a caneta óptica não se activa e não consegue interagir com o dispositivo.