Conceito de crisálida


Fev 03, 17

A noção de crisálida, que deriva do latim científico chrysalida (ainda que as suas origens mais remotas se encontrem na língua grega), é usada na área da zoologia referentemente ao estado anterior à etapa adulta que apresentam os insectos que realizam uma metamorfose completa.

Igualmente chamada pupa, a crisálida implica a transição entre o estado da larva e o estado de imago (quando o exemplar alcança a idade adulta). Esta fase é atravessada pelos insectos holometábolos, que são aqueles que de embrião se convertem em larvas, depois em crisálidas em finalmente em imagos. As borboletas, as moscas, as polilas e as abelhas são animales holometábolos.

Apesar de o estado variar em função da espécie, as crisálidas não se costumam mover nem alimentar. No processo guarnecem-se numa espécie de cápsula que lhes confere protecção enquanto os seus órgãos se modificam e adquirem uma nova estrutura.

Durante a etapa de crisálida desenvolvem-se as asas e as patas de forma progressiva. Em simultâneo, o corpo começa a adquirir a estrutura tripartita que caracteriza os adultos, com abdómen, tórax e cabeça.

A fase de crisálida pode durar desde algumas semanas até vários meses. No momento da eclosão, o animal dissolve ou rompe o capulo e emerge no seu estado adulto.

“Crisálida”, por outro lado, é o nome de uma escultura que realizou o Mexicano Manuel Felguérez. A obra data de 2014 e foi elaborada a partir de um Volkswagen Sedán, o automóvel igualmente chamado “carocha”.
“As crisálidas”, por fim, é o nome pelo qual conhecemos no nosso idioma a obra “The Chrysalids” do Inglês John Wyndham.