Conceito de consciência social




Jan 07, 12 Conceito de consciência social

A palavra consciência provém do latim conscientĭa, que significa “saber/ter conhecimento de…”. Trata-se do acto psíquico que permite que a pessoa se enxerga no mundo, isto é, tenha noção da sua existência no mesmo. A consciência é o conhecimento reflexivo das coisas.

A psicologia defende que a consciência é o estado cognitivo através do qual um sujeito pode interagir com os estímulos externos que formam a realidade e, a partir dessa interacção, interpreta-los.

A consciência social, por sua vez, pode definir-se como sendo o conhecimento que uma pessoa tem do estado dos restantes integrantes da sua comunidade. Um indivíduo que tenha consciência social é precisamente consciente de como o ambiente pode favorecer ou prejudicar o desenvolvimento das pessoas.

A consciência social parte do princípio de que o homem entende as necessidades do próximo e pretende cooperar através de diversos mecanismos sociais. A acção social para ajudar pode desenvolver-se através das doações económicas, das contribuições em géneros alimentares ou em vestuário, das actividades de voluntariado e de todo o tipo de assistência.

Na acepção do marxismo, a consciência social ou consciência de classe é a capacidade de um sujeito em reconhecer-se enquanto membro pertencente a uma classe social que mantenha relações antagónicas com as outras classes. Este conceito tem por base a noção de luta/confronto de classes e a concepção de uma sociedade estratificada.

Os marxistas afirmam que a consciência social manifesta-se através da ideologia política, da religião, da arte, da filosofia, da ciência e, inclusive, da estrutura jurídica de uma sociedade. De acordo com esta corrente, o sujeito que não seja capaz de compreender isto, encontra-se portanto alienado.