Conceito de consubstancial


Dez 15, 16

O termo consubstancial, que também pode ser mencionado como um ser, vem da palavra latina consubstantialis. A noção refere-se ao adjectivo que descreve aquilo que pertence à própria essência ou natureza de algo ou alguém, sendo indivisível do mesmo, isto é, consubstancial.

Há economistas que argumentam que a acumulação de riqueza e o capitalismo são consubstanciais. Este deveria, de acordo com este ponto de vista, exigir que o modelo capitalista de existi, devendo haver alguém que acumule riqueza enquanto a acumulação de riqueza só é possível com um regime como o capitalista.

Muitas pessoas também afirmam que a corrupção é inerente às instituições e as entidades são dirigidas e impulsionadas por seres humanos, e todos podem chegar a cometer um acto corrupto. Nunca pode haver uma instituição imaculada porque os homens precisam de funcionar.

A vida e a morte, por outro lado, são inerentes/consubstanciais: não se podem conceber uma sem a outra. Para lá daquilo que entendemos como a vida, deve haver um fim mais tarde ou mais cedo, que consiste na morte. Por sua vez, a morte só pode aparecer como o fim da vida. Pode-se dizer que a vida e a morte são dois lados da mesma moeda: prescindir das mesmas é impossível.

Na área da religião católica, diz-se que as três pessoas divinas (Pai, Filho e Espírito Santo) estão consubstancialmente/inerentemente ligadas, porque têm em comum uma substância idêntica. A consubstancialidade, portanto, refere-se à relação entre as pessoas da Santíssima Trindade: Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.