Conceito de crónica




Nov 07, 11 Conceito de crónica

A palavra crónica tem origem no latim chronĭca, que, por sua vez, deriva do grego kronika biblios (“livros que seguem a ordem do tempo”). O termo faz referência à narração histórica pela ordem do tempo em que se deram os factos, na acepção do Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

Uma crónica pode ser, por outro lado, um artigo jornalístico (ou uma rubrica) ou ainda um programa radiofónico ou televisivo sobre assuntos ou temas da actualidade.

Este termo também pode designar a história da vida de um rei (uma espécie de biografia embora dedicada exclusivamente aos reis). Em sentido figurado, trata-se de uma biografia escandalosa.

Quando se fala de uma doença, diz-se que é crónica (feminino do adjectivo “crónico”, do latim chronĭcus) sempre que se constatar que é habitual, que já dura há muito tempo ou que perdura no tempo.

Dá-se portanto o nome de doença crónica à patologia de longa duração, cujo fim ou a cura não se consegue prever, podendo, nomeadamente, ser permanente. Não existe nenhum consenso relativamente ao prazo a partir do qual uma doença passa a ser considerada crónica.

Enquanto obra literária, a crónica narra os factos de acordo com a ordem temporal em que ocorreram, geralmente com base em testemunhos presenciais ou contemporâneos, contados na primeira ou na terceira pessoa.

As crónicas costumam empregar uma linguagem simples, directa e pessoal, com recurso reiterativo de adjectivos para salientar e evidenciar as descrições. Por outro lado, apresentam referências espácio-temporais, embora se denote algum distanciamento temporal relativamente aos escritos históricos.

Por fim, chama-se cronista ao autor de crónicas, isto é, ao escritor que compila e redige eventos históricos ou da actualidade (no caso do jornalismo, mais precisamente).