Conceito de desemprego




Set 19, 11 Conceito de desemprego

O termo desemprego alude à falta de trabalho. Um desempregado é um indivíduo que faz parte da população activa (que se encontra em idade de trabalhar) e que anda à procura de emprego embora sem sucesso. Esta situação traduz-se na impossibilidade de trabalhar e, isto, contra a vontade da pessoa.

Desemprego é sinónimo de desocupação. Distinguem-se quatro formas de desemprego: cíclico, estacional, friccional e estrutural.

O desemprego cíclico consiste na falta de trabalho durante um momento de crise económica (isto é, de recessão). Trata-se, em geral, de períodos não demasiado extensos em termos de tempo e que se revertem a partir do momento em que se registam sinais de melhoria na economia.

O desemprego estacional (ou sazonal) surge pela flutuação estacional da oferta e da procura. O sector da agricultura ilustra claramente esta situação de desemprego: em épocas de colheita (as vindimas, por exemplo), aumenta a oferta de trabalho e o desemprego diminui; nos restantes meses do ano, a situação inverte-se.

O desemprego friccional (igualmente chamado desemprego de transição ou de mobilidade) ocorre quando o empregado e a entidade patronal não chegam a acordo. Se as condições de trabalho ou remuneratórias não corresponderem às expectativas do trabalhador, este demite-se e parte à procura de outro emprego. É uma forma provisória de desemprego e que tende a ser constante.

O desemprego estrutural, por fim, é o mais grave, tendo em conta que corresponde a um desajuste técnico entre a procura e a oferta de trabalhadores (mão-de-obra disponível no mercado). Muitas das vezes, os postos de trabalho necessários para a estabilidade da economia são inferiores à quantidade de pessoas que procuram emprego e que precisam de trabalhar para se sustentar. Esta situação exige a intervenção do Estado para solucionar o desequilíbrio.