Conceito de diário de campo




Out 01, 11 Conceito de diário de campo

O diário de campo é um instrumento utilizado pelos investigadores para registar/anotar os dados recolhidos susceptíveis de serem interpretados. Neste sentido, o diário de campo é uma ferramenta que permite sistematizar as experiências para posteriormente analisar os resultados.

Cada investigador tem a sua própria metodologia na hora de levar a cabo o seu diário de campo. Neste, pode-se incluir ideias desenvolvidas, frases isoladas, transcrições, mapas e esquemas, por exemplo. O que importa mesmo é que o investigador possa apontar no diário aquilo que vê/observa ao longo do seu processo de investigação para depois analisar e estudar.

Obviamente, os apontamentos tirados no diário de campo não têm necessariamente de retratar a realidade em si, mas antes a realidade vista na óptica do investigador, com as suas percepções e a sua cosmovisão. A subjectividade entra em jogo a partir do momento em que são tirados apontamentos, e não unicamente aquando da interpretação. Por isso, pode-se afirmar que, mesmo que dois investigadores trabalhem em conjunto sobre o mesmo tema, os diários de campo de cada um deles serão certamente diferentes.

De acordo com os especialistas, recomenda-se que o diário de campo seja dividido em duas colunas. Desta forma, o investigador pode incluir, num lado, tudo o que diz respeito às observações realizadas por si e, no outro, as suas impressões ou conclusões. Também é conveniente que, ao fim do dia, o investigador se reúna com os seus colegas de trabalho de modo a partilharem ideias e trocarem impressões podendo ser úteis para o diário.

Deve-se ter em conta que o diário de campo costuma ser o primeiro passo dos ensaios, das reflexões e dos livros sobre a investigação em questão.