Conceito de dominância




Dez 26, 12 Conceito de dominância

Para a etologia, a dominância é a possessão de um alto estatuto social no seio de um grupo de animais que exibe uma organização social hierárquica. Esta hierarquia costuma ser alcançada e sustentada através da agressão dos indivíduos dominantes sobre os inferiores. O animal dominante é conhecido pelos especialistas pela letra grega alfa.

Na genética de organismos diplóides, um alelo é dominante para um gene dado quando produz o mesmo efeito fenotípico sobre um carácter, independentemente de os alelos estarem em dose simples (heterozigoto) ou duplo (homozigoto). Por exemplo: se um alelo A for dominante sobre um alelo a, a forma homozigótica AA e a heterozigótica Aa produzem o mesmo fenótipo.

A dominância pode ser completa (quando a expressão fenotípica do homozigoto dominante e do heterozigoto é idêntica) ou incompleta (quando a expressão do heterozigoto é apenas parcial, e, por conseguinte, inferior à do homozigoto). Quando o heterozigoto ostenta uma expressão maior do que o homozigoto dominante, fala-se de sobredominância.

Para a ecologia, uma espécie é dominante quando exerce uma grande influência sobre a composição e a forma de uma comunidade. Trata-se de espécies de grande êxito ecológico, e que são abundantes dentro do grupo comunitário.

As espécies dominantes podem ser consideradas em função dos diferentes níveis tróficos. A noção de dominância mantém uma relação inversa com a de diversidade: dentro do mesmo número de espécies, quanto maior for a dominância de uma ou várias espécies, menor será a diversidade.

Cabe destacar que, nas comunidades marinas, existe uma certa relação directa entre a riqueza e a dominância, uma vez que, quanto maior o número de espécies, acabam por ser relativamente mais abundantes as espécies mais comuns.