Conceito de existencialismo




Abr 26, 12 Conceito de existencialismo

O existencialismo é uma corrente filosófica que busca o conhecimento da realidade através da experiência imediata da própria existência. Não existe, no entanto, nenhuma teoria precisa ou exacta que defina o que quer dizer existencialismo.

O que é dado por certo é que este movimento da filosofia destaca o ser humano individual como criador do significado da sua vida. A temporalidade do sujeito, a sua existência concreta no mundo, é aquilo que constitui o ser e não uma suposta essência mais abstracta.

Os existencialistas não concordam que o indivíduo seja uma parte de um todo. São antes da opinião de que cada ser humano é uma integridade livre por si mesma. A existência própria de uma pessoa (a sua vivência) é o que define a sua essência e não uma condição humana geral.

Por outras palavras, o ser humano existe a partir do momento em que é capaz de formular qualquer tipo de pensamento. O pensamento faz com que a pessoa seja livre: sem liberdade, não há lugar à existência.

Esta mesma liberdade faz com que o indivíduo seja responsável pelos seus actos. Há, por conseguinte, uma ética da responsabilidade individual. A pessoa deve assumir os actos que realiza no exercício da sua liberdade.

Os Franceses Jean-Paul Sartre (1905-1980) e Albert Camus (1913-1960) são dois dos grandes representantes do existencialismo. Esta corrente pode dividir-se em diversas escolas, nomeadamente o existencialismo teísta (reflecte sobre a existência de Deus e o Espírito), o existencialismo ateu (nega o divino) e o existencialismo agnóstico (considera que a existência de Deus é irrelevante para a existência humana).