Conceito de filosofia




Mai 10, 11 Conceito de filosofia

À reflexão metódica que reflecte a articulação do conhecimento e os limites da existência e das formas de vida e de se estar na vida dá-se-lhe o nome de filosofia. O termo, de origem grega, é composto pelos vocábulos: philos (“amor”) e sophia (“pensamento, sabedoria, conhecimento”). Posto isto, pode-se dizer que a filosofia é o “amor pelo conhecimento”.

O filósofo, por sua vez, é um individuo que busca o saber pelo próprio saber, sem um fim pragmático. É movido pela curiosidade e indaga acerca dos últimos fundamentos da realidade. Para além do desenvolvimento da filosofia enquanto disciplina, o acto de filosofar é intrínseco à condição humana. Não é um saber concreto, mas antes uma atitude natural do homem em relação ao universo e ao seu próprio ser.

Da mesma forma que a religião, a filosofia centra-se nas questões fulcrais da existência humana. Em contrapartida, ao contrário da religião, não se baseia numa revelação divina nem ma fé, pois recorre apenas à razão. Desta forma, a filosofia pode ser definida como a análise racional do sentido da existência humana, tanto individual como colectiva, fundada na compreensão do ser. Apesar de certas semelhanças com a ciência, a filosofia tende a afastar-se um pouco desta, já que muitas das suas perguntas não podem ser respondidas através do empirismo experimental.

A filosofia pode ser dividida em diversos ramos. A filosofia do ser, por exemplo, abarca a metafísica, a ontologia e a cosmologia, entre outras disciplinas. A filosofia do conhecimento inclui a lógica e a epistemologia, ao passo que a filosofia moral está relacionada com questões de foro ético.