Conceito de glóbulos brancos


Abr 28, 14

Do latim globŭlus, glóbulo é um pequeno corpo esférico. O termo é o diminutivo de globo e costuma usar-se em referência às células que compõem o sangue. Pode distinguir-se, neste sentido, entre glóbulos brancos e glóbulos vermelhos.

Os glóbulos brancos ou leucócitos são as células sanguíneas que se encarregam de dar a resposta imunitária, actuando na defesa do organismo contra antígenos e substâncias estranhas. Os leucócitos, assim como os glóbulos vermelhos e as plaquetas, formam o conjunto dos elementos que figuram no sangue.

A origem dos glóbulos brancos está na médula óssea e no tecido linfático. Se carecerem de pigmentos, são qualificados de “brancos” para que se possam distinguir dos glóbulos vermelhos.

Um leucócito é uma célula móvel de entre 8 e 20 micrómetros, que se transfere através de pseudópodes. Apresenta núcleo, mitocôndrias e outros organelos celulares, e pode sair dos vasos sanguíneos graças a um mecanismo que se conhece como diapedese que lhe permite prolongar o seu conteúdo citoplasmático.

De acordo com a forma do núcleo, os glóbulos brancos podem dividir-se em linfócitos, monócitos, neutrófilos, basófilos ou eosinófilos. Segundo as características tintoriais (a cor), por outro lado, pode-se falar de granulócitos, agranulócitos, neutrófilos ou basófilos.

É possível registar-se alterações ao nível do tamanho, da forma e do funcionamento dos glóbulos brancos. Esses transtornos produzem-se por doenças hereditárias, infecções, reacções contra um medicamento ou anemia, por exemplo. A leucocitose é o aumento da quantidade de glóbulos brancos, ao passo que a diminuição recebe o nome de leucopenia.