Conceito de justo


Jan 14, 15

O vocábulo latino iustus derivou em justo, um adjectivo que se usa para evocar aquilo que está em conformidade com a justiça. Posto isto, o que é justo é equânime, equitativo, imparcial ou razoável.

Exemplos: “Parece-me justo que fique aqui a trabalhar depois da hora: hoje, cheguei ao trabalho depois da hora: hoje, entrei no escritório bastante tarde!”, “Justo seria que devolvesses os discos à Micaela”, “O presidente afirmou que não é justo que as pessoas com menos recursos paguem obras de que se irão servir os sectores mais ricos da população”.

O qualificativo de justo pode aplicar-se a uma pessoa quando se considera que esta age de uma forma equilibrada, outorgando a outros o que corresponde consoante o caso: “O Martins é um professor severo, mas justo: castiga os maus alunos e recompensa aqueles que se esforçam”, “O dono da empresa não é um homem justo, pois favorece sempre os empregados que fazem parte da sua família”.

Também se pode definir uma acção por justa ou injusta: “A expulsão do atacante brasileiro foi justa”, “Como podes afirmar que é justo o prémio quando nem sequer leste o livro distinguido?”, “Opino que a retirada de subsídios é justa”.

Justo, por último, é aquilo que se consegue ajustar na perfeição o que está apertado: “Estas calças ficam-me justas e marcam-me muito as pernas”. “A nova cadeira entrou à justa entre a mesa e a biblioteca”.