Conceito de pirómano


Out 08, 14

Conhece-se por piromania um desequilíbrio mental que leva uma pessoa a ficar obcecada com o fogo. Os indivíduos que sofrem este transtorno são chamados pirómanos.

Ora, um pirómano é um sujeito que se sente atraído a provocar e propagar o fogo. Isto faz que se dedique a provocar incêndios de forma intencional, gozando do processo e das consequências.

Exemplos: “A polícia deteve um pirómano que planeava incendiar um automóvel no Terreiro do Paço”, “Por culpa de um pirómano, perdemos tudo o que tínhamos”, “Não me parece que tenha sido um acidente: parece-me actividade de algum pirómano”.

Hoje, a partir da psicologia, costuma considerar-se que o pirómano sofre de uma patologia. Ao longo da história, porém, às pessoas que tinham tendência a provocar incêndios eram consideradas indivíduos com defeitos morais, e não como doentes.

É importante diferenciar, no entanto, entre um pirómano e um incendiário que produz um incêndio com um fim concreto: obter lucros, gerar um prejuízo a outra pessoa, etc.

Os pirómanos, no entanto, atam fogo pela acção em si mesma, sem outra finalidade. Costumam ser homens solitários, assolados por uma profunda angústia que conseguem aliviar quando começa o incêndio. Com o fogo já desatado, estas pessoas podem ter uma sensação de relaxamento ou viver um momento de grande prazer.

Conseguir que os pirómanos recebam acompanhamento nas clínicas psiquiátricas é muito importante, uma vez que a sua acção pode provocar desde grandes perdas materiais a vítimas fatais ou catástrofes ecológicas.