Conceito de plenilúnio


Mai 13, 15

Plenilunĭum é uma noção da língua latina que chegou a nosso idioma como plenilúnio. O plenilúnio é, simplesmente, a Lua cheia: a fase durante a qual o satélite da Terra pode ver-se totalmente iluminado a partir do nosso planeta.

Esta particularidade ocorre quando a Terra se encontra precisamente entre o Sol e a Lua. Isto tem lugar a cada 28 dias, quando o ciclo da Lua se completa. O plenilúnio costuma decorrer uns 14 dias depois do novilúnio (a Lua nova), o momento durante o qual o satélite se situa entre o nosso planeta e o Sol e a iluminação da sua face visível é nula.

O plenilúnio costuma dar lugar a diversos mitos. Acredita-se, por exemplo, que os lobisomens adquirem a sua condição animal durante as noites de Lua cheia. Isto pode associar-se à crença de os lobos uivarem para a Lua cheia, o que é errado. Estes animais, na realidade, uivam sempre para comunicarem entre eles: o que acontece nas noites de plenilúnio é que, pelo facto de haver uma maior luminosidade, ficam mais activos e, por conseguinte, uivam mais.

Antigamente também se pensava que o plenilúnio tinha uma relação com a loucura. Por isso surgiram termos como lunático, que se usam para qualificar quem está desquiciado. O plenilúnio era acusado como causa de insónia.

O que é certo é que a ciência nunca conseguiu demonstrar qualquer efeito do plenilúnio sobre o comportamento do ser humano. Tudo parte das lendas e tradições que se foram partilhando de geração em geração e chegaram até aos nossos dias.