Conceito de prognatismo


Set 13, 15

A primeira coisa a fazer, antes de entrar plenamente no estabelecimento do significado do termo prognatismo, é determinar a sua origem etimológica. Nesse sentido, deve-se esclarecer que se trata de um neologismo ao qual se deu forma no século XIX e que se compôs de três partes derivadas do latim e do grego:
-O prefixo latino “pro-”, que significa “para a frente”.
-O substantivo grego “gnathos”, que é equivalente a “mandíbula”.
-O sufixo grego “-ismo”, que se pode traduzir por “qualidade”.

O prognatismo é a condição do indivíduo que é prognato. Este adjectivo é usado para designar as pessoas cujas mandíbulas são salientes. Isto significa que a mandíbula, independentemente de ser a parte inferior ou superior, acaba por sobressair do rosto.

Diversos factores podem provocar o prognatismo. Nos seres humanos, esta condição pode provocar diversos transtornos para além das questões estéticas, uma vez que o prognatismo impede um fechamento normal da boca e pode provocar problemas para mastigar ou até para falar.

Por norma, o maxilar inferior aparece “adiantado” relativamente ao maxilar superior, fazendo com que os dentes não fiquem bem alinhados. Esta oclusão dental deficiente pode constituir-se como um sintoma de certos problemas, pelo que é conveniente consultar um odontólogo. Em certos casos, o prognatismo resolve-se com uma cirurgia. O profissional também pode indicar o uso de ortodoncia.

Mais precisamente, considera-se que três das causas mais importantes que dão lugar a essa extensão da mandíbula são as seguintes:
-Afecções hereditárias, como seria o caso da síndrome do nevo basocelular (de células basais) ou a síndrome de Crouzon.
-Gigantismo, que, como o seu próprio nome indica, é um aumento anormal e grande durante a infância.
-Acromegalia, que se caracteriza pelo facto de uma pessoa ter demasiada hormona do crescimento.
As pessoas que sofrem de prognatismo têm de enfrentar uma serie de sintomas ou de consequências, tais como estas:
-Uma inegável assimetria facial.
-Dores articulares.
-Péssima auto-estima, uma vez que estão totalmente desgostosas com a sua aparência física.

Ao longo da história foram surgindo muitos casos de seres com prognatismo. Posto isto, considera-se que os primeiros a terem sofrido do mesmo foram os homens de Cro-Magnon e também aliás os neandertais. Porém, depois deles também tiveram essa característica facial certos faraós do Antigo Egipto.

Cabe destacar que o prognatismo pode ter causa genética e, por conseguinte, herdar-se. Entre os casos mais conhecidos de prognatismo está a condição compartida por diversos integrantes dos Habsburgo, uma dinastia que governou a Espanha entre os séculos XVI e XVII. Devido à aparência que outorga o prognatismo, muitos membros de Habsburgo optaram por deixar crescer a barba para ocultar o defeito da sua mandíbula. Os retratos realizados por pintores da época, contudo, permitem reparar na condição.

Não só aquilo que se sabe que provoca no ser humano, o prognatismo era normal noutras espécies de hominídeos. No Homo sapiens actual, efectivamente, nem sempre se torna num problema de saúde.