Conceito de prolegómenos


Mar 24, 14

Prolegómenos é um termo derivado de um vocábulo grego que se pode traduzir como “preâmbulos”. O conceito é usado para designar o tratado que se encontra no começo de uma obra com a intenção de estabelecer os fundamentos gerais daquilo que vai ser tratado a seguir.

Exemplos: “O sociólogo explica nos prolegómenos do seu ensaio o que entende por tribo urbana”, “É um livro escrito com uma linguagem tão complicada que já me desconcertou desde os prolegómenos”, “Nos prolegómenos da tragédia, o imperador anuncia à sua mulher que defenderá a fortaleza ou que morrerá na tentativa”.

Sinónimo de prólogo ou preâmbulo, a noção de prolegómenos pode associar-se à ideia de introdução ou antecedente. Neste caso, os prolegómenos podem ser formados pelos factos prévios a um sucedimento/acontecimento principal. Se um jornalista quiser realizar uma crónica sobre um dirigente político que ganha uma eleição e é eleito como governador, pode afirmar que os prolegómenos do seu triunfo incluíram acordos com forças opositoras e encontros com vizinhos. Isto significa que esses antecedentes serviram para o êxito que obteve nas eleições.

Os prolegómenos também podem ser uma etapa histórica que antecede outra. Neste sentido, pode falar-se dos prolegómenos da democracia num país ou dos prolegómenos à conquista de um território.

Prolegómenos, por fim, é um termo que costuma ser usado na linguagem coloquial para mencionar uma introdução ou uma preparação que é excessiva ou desnecessária: “Para quê tantos prolegómenos? Não percas mais tempo e diz-me de uma vez por todas em que te posso ajudar!”, “Podes já parar com os prolegómenos, até porque não vou perdoar o teu irmão”.