Conceito de psicologia de desenvolvimento


Jun 29, 12

Os entendidos em Psicologia consideram que o desenvolvimento humano surge na sequência da alteração sistemática de carácter psicológico que ocorre ao longo de toda a existência do individuo. Nesse processo, o sujeito acede a estados cada vez mais complexos. O ramo da psicologia que enfoca estas questões é a psicologia do desenvolvimento.

Noutros termos, a psicologia do desenvolvimento trata de explicar as transformações que as pessoas sofrem com o passar do tempo. Estas mudanças podem ser explicadas através de factores com que nos confrontamos por oposição: continuidade/descontinuidade, herança/ambiente, etc.

Neste contexto, o psicólogo esforça-se para conseguir que o paciente compreenda melhor a sua evolução e o contexto no qual se insere e se desenvolve. O desenvolvimento deve ser considerado como um processo contínuo, global e flexível.

Há especialistas que sustentam que a sociedade e a cultura obrigam e impõem uma serie de tarefas implícitas no desenvolvimento do ser humano. Através do processo de socialização, o cumprimento destas actividades acaba por se tornar numa aspiração do próprio sujeito.

O psicólogo norte-americano de origem alemã Erik Erikson contempla oito etapas básicas no desenvolvimento do ser humano: a chamada etapa incorporativa, que consiste na fase sensório-oral que começa no nascimento e se prolonga até ao primeiro ano de idade, na qual a criança depende completamente do meio que o rodeia; a etapa infância precoce, entre os doze meses e os três anos de idade, conhecida como a fase muscular anal e determinada pelo controlo dos esfíncteres e dos músculos; o período da latência ou escolar, entre os seis e os doze anos; a etapa da puberdade e adolescência, que se estende entre os doze e os vinte anos e onde se consolida a identidade; a etapa adulto jovem, dos vinte aos quarenta anos, e em que se costuma constituir a própria família; o período adulto, dos quarenta aos sessenta anos, onde se facilita o progresso das gerações mais jovens; e a etapa velhice, onde a integridade gira em torno da aceitação da finitude natural da vida humana.