Conceito de psicopatologia




Dez 23, 11 Conceito de psicopatologia

A psicopatologia é o estudo das causas e da natureza das doenças mentais. Pode ser desenvolvida segundo diferentes perspectivas ou modelos, como o biomédico, o psicodinâmico, o sociobiológico e o comportamental, entre outros.

De acordo com o modelo psicodinâmico, por exemplo, os processos psicológicos são a principal causa dos problemas mentais e psicossomáticos.

A perspectiva biomédica trata dos transtornos mentais como de qualquer outra doença a partir do momento em que considera que as alterações psicopatológicas resultam de anormalidades biológicas subjacentes (genéticas, bioquímicas ou neurológicas). Neste caso, o tratamento deve focar-se na correcção dessas anormalidades orgânicas.

Neste sentido, um comportamento anormal é uma doença produzida pelo funcionamento patológico de alguma parte do organismo. Prende-se com alterações do cérebro, as quais podem ser anatómicas (o tamanho ou a forma de certas regiões cerebrais fora dos padrões considerados normais) ou bioquímicas (quando os elementos bioquímicos que contribuem para o funcionamento neuronal vêm a sua função alterada).

A psicopatologia considera que os transtornos mentais orgânicos são aqueles que têm causas físicas evidentes, como acontece com a doença de Alzheimer, ao passo que os transtornos mentais funcionais são os padrões comportamentais anormais sem claros indícios de alterações orgânicas cerebrais.

Por fim, convém salientar que o modelo comportamental da psicopatologia não estabelece diferenças entre os comportamentos patológicos e os comportamentais normais pelo facto de ambos serem o resultado da aprendizagem com base no meio, daí se atribuir mais importância às influências ambientais do que às biológicas ou genéticas. O tratamento neste modelo consiste na alteração do comportamento, seja de forma manifesta como inferida.