Conceito de pudor


Nov 21, 12

Pudor é uma palavra de origem latina e que faz referência ao recato, à modéstia, à vergonha e à honestidade.

O pudor costuma estar associado ao embaraço no que toca a questões da vida privada, especialmente à sexualidade. Constitui, por conseguinte, um elemento da personalidade que procura proteger a intimidade. Aquilo que provoca pudor é algo que não se quer mostrar ou fazer em público.

Por exemplo: “Não vou usar isso, dá-me muito pudor”, “A namorada do João Paulo não tem qualquer pudor… Como é que ela consegue usar uma roupa assim tão decotada e tão curta?”, “Os fotógrafos apanharam o casal de actores a beijarem-se fogosamente no parque, sem nenhum pudor”.

A forma como é sentido e vivenciado o pudor difere de pessoa para pessoa. Os sujeitos mais reservados sentirão pudor por diversas questões que, noutros casos, não causariam vergonha nem incómodo. Uma determinada vestimenta ou um certo comentário são exemplos de coisas que podem causar pudor a alguns e serem indiferentes a outros.

Um homem que fala abertamente e sem complexos da sua vida sexual em frente a uma grande quantidade de pessoas não tem pudor. Essa mesma situação, no entanto, pode ser traumática para outro sujeito, na medida em que fere a sua sensibilidade ou moral, podendo até reflectir-se fisicamente (bochechas coradas, gaguejo, mãos transpiradas, etc.).

Pudor também é o nome do primeiro filme do Espanhol Tristán Ulloa, baseado num romance do autor peruano Santiago Roncagliolo. Este filme foi nomeado aos galardões “Bisnaga de Ouro” no Festival de Málaga.