Conceito de respiração celular


Mai 17, 13

A respiração (do latim respiratĭo) é um processo fisiológico que consiste na troca de gases com o meio ambiente. Respirar implica absorver ar, tomar parte das suas substâncias e expulsá-lo uma vez modificado. A célula, por outro lado, é a unidade fundamental dos organismos vivos que conta com a capacidade de reprodução independente.

Estas definições permitem-nos fazer uma abordagem do conceito de respiração celular, que é um conjunto de reacções bioquímicas que tem lugar na maioria das células. O processo implica a divisão do ácido pirúvico (produzido pela glicólise) em dióxido de carbono e água, juntamente com a produção de moléculas de trifosfato de adenosina (ATP).

Noutros termos, a respiração celular supõe um processo metabólico através do qual as células reduzem o oxigénio e produzem energia e água. Estas reacções são indispensáveis para a nutrição celular.

A libertação de energia tem lugar de forma controlada. Uma parte dessa energia é incorporada às moléculas de ATP, as quais, graças a este processo, podem ser usadas em processos endotérmicos como o anabolismo (a preservação e o desenvolvimento do organismo).

É possível dividir a respiração celular em dois tipos: a respiração aeróbica e a respiração anaeróbica. Na respiração aeróbica intervém o oxigénio como aceptor dos electrões que libertam as substâncias orgânicas. A respiração anaeróbica, por sua vez, não conta com a participação do oxigénio, uma vez que os electrões recaem noutros aceptores que costumam ser subprodutos do metabolismo de outros organismos.

É importante distinguir a respiração anaeróbica da fermentação, que é um processo de redução interna da molécula processada.