Conceito de revolução francesa


Set 18, 12

A revolução francesa foi um processo social e político que decorreu entre 1789 e 1799 em França e que, com o tempo, se estendeu noutros países. Entre as suas principais consequências, destacaremos a queda do rei Luís XVI, acabando assim com o Antigo Regime (um sistema onde o poder recaía numa única pessoa e onde não existia a mobilidade social).

Com a abolição da monarquia francesa, foi proclamada a Primeira República. O período revolucionário teve contradições internas e divisões entre os seus próprios impulsores, até que, em 1799, Napoleão Bonaparte deu um golpe de estado, dando por finalizada a revolução e as suas medidas.

A revolução francesa marcou o final do absolutismo e o surgimento da burguesia (pequenos capitalistas) como classe social dominante. O poder deixou de ser hereditário ou divino, já que, na teoria, qualquer pessoa podia ser eleita para aceder ao governo.

Convém destacar que, em 1789, a Assembleia Nacional Constituinte Francesa decretou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão e estabeleceu o princípio de liberdade, igualdade e fraternidade como base do sistema.

Outra circunstância nascida com a revolução francesa que se manteve no tempo foi a divisão política entre a esquerda e a direita, originada pelos agrupamentos que tinham lugar dentro da Assembleia. Os conservadores e aristocratas sentavam-se do lado direito; os mais radicais (extremistas), por sua vez, ocupavam o sector esquerdo. Ali se criou a concepção de políticas de direita ou de esquerda, de acordo com o sítio ocupado pelos membros da assembleia.