Conceito de saúde ocupacional




Fev 23, 11 Conceito de saúde ocupacional

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a principal finalidade dos Serviços de Saúde Ocupacional consiste na promoção de condições laborais que garantam o mais elevado grau de qualidade de vida no trabalho, protegendo a saúde dos trabalhadores, promovendo o bem-estar físico, mental e social, prevenindo e controlando os acidentes e as doenças através da redução das condições de risco.

A saúde ocupacional não se limita apenas a cuidar das condições físicas do trabalhador, já que também trata da questão psicológica. Para os empregadores, a saúde ocupacional supõe um apoio ao aperfeiçoamento do funcionário e à conservação da sua capacidade de trabalho.

Os problemas mais frequentes dos profissionais que lidam com a saúde ocupacional são as fracturas, os cortes e as distensões por acidentes no trabalho, os distúrbios por movimentos repetitivos, os problemas de visão e de audição e as doenças causadas pela exposição a substâncias anti-higiénicas ou radioactivas, por exemplo. Também se podem deparar com o stress causado pelo trabalho ou pelas relações laborais.

Convém destacar que a saúde ocupacional é um tema importante para os governos, os quais devem garantir o bem-estar dos trabalhadores e o cumprimento das normas no âmbito do trabalho. Para tal, é hábito realizarem inspecções periódicas de modo a determinar as condições mediante as quais são desenvolvidos os vários tipos de actividades laborais.

É importante ter em conta que a precariedade no trabalho incide sobre a saúde ocupacional. Uma empresa que tem trabalhadores ao negro (isto é, estes não usufruem de cobertura médica e/ou seguro) e que apresenta um espaço físico inadequado para o trabalho está a por em risco a saúde dessas pessoas.

Em Portugal, existe um organismo que defende e se preocupa com esta matéria: a Sociedade Portuguesa de Saúde Ocupacional para além do Programa Nacional de Saúde Ocupacional (PNSOC), aprovado em Setembro de 2009 pela Direcção-Geral da Saúde.