Conceito de símio


Mar 11, 14

Do latim simĭus, um símio é um primata antropóide. Se o termo for escrito a começar por uma maiúscula (Símio), refere-se à subordem desses animais.

Exemplos: “Nas próximas férias, vou levar o meu filho ao jardim zoológico para conhecer os símios”, “Um símio de grande porte fugiu de um abrigo e assustou os vizinhos durante várias horas”, “Ontem, ri-me muito com uma comédia protagonizada por um símio”.

Na nossa língua, símio tende a ser usado como sinónimo de mono. Noutras línguas, no entanto, existem termos que distinguem os diversos grupos de primatas consoante as suas características zoológicas.

A expressão “grandes símios” permite referir-se ao género Hominídea. Os gorilas, os orangotangos, os chimpanzés e os bonobos (chimpazé-anão), neste sentido, são grandes símios: “O gorila é o meu símio favorito: é bastante forte e lança gritos aterradores”, “Nós, os seres humanos, partilhamos mais de 95% do genoma com o chimpanzé, pelo que podemos dizer que somos bastante parecidos com este símio”, “Os bonobos e outros símios divertiram as crianças com as suas macacadas”.

Os símios partilham muitas características com os seres humanos. Algumas espécies têm consciência sobre elas mesmas (reconhecem-se num espelho), compreendem gestos e expressões das pessoas e até usam ferramentas.

Convém destacar que isso não impede que muitos símios se encontrem em vias de extinção. O gorila, apesar da sua robustez natural, sofre a caça furtiva, a destruição do seu habitat natural e epidemias como o vírus do ébola. Os grupos conservadores esforçam-se por evitar a extinção deste símio, tal como a de outros animais.