Conceito de somático


Mar 19, 14

O termo “somático” deriva de um vocábulo grego que se pode traduzir por “corporal”. Este adjectivo é usado para se referir, no caso de um ser animado, àquilo que é corpóreo, físico ou material.

Na biologia e na medicina, um sintoma somático é aquele cuja natureza é eminentemente deste tipo (corpóreo), ao contrário dos sintomas psíquicos.

Exemplos: “Pensávamos que os enjoos eram causados pelo stress, mas acabaram por ser um tema somático”, “O médico recomendou ao Bruno que consultasse um psicólogo, já que não encontrou nenhuma evidência somática daquilo que ele indica”, “Os problemas somáticos e os psíquicos devem ser tratados com a mesma seriedade”.

Os transtornos (distúrbios) psicossomáticos são os processos psíquicos que têm influência e efeitos no somático. Isto significa que certos sintomas somáticos (com evidência corporal) podem ter a sua origem em processos emocionais. Essa realidade é muito difícil de precisar para os médicos, já que incidem variáveis inacessíveis para o método científico.

A subida da pressão face a uma situação de nervosismo, o rubor (ficar corado) quando se sente vergonha e o cólon irritável devido ao stress são alguns exemplos de consequências somáticas a partir de algo emocional.

Conhece-se pelo nome de sistema nervoso somático (SNS), por outro lado, o sistema composto pelos neurónios sensitivos que transferem a informação desde os receptores sensoriais (como, por exemplo, a pele) até ao sistema nervoso central (SNC) através de axões motores.

Os nervos espinhais, os nervos cranianos, o nervo óptico, o nervo olfactivo, o nervo motor ocular comum (ou oculomotor), o nervo trigémeo, o nervo troclear e o nervo vago são alguns dos componentes do SNS.