Conceito de vaticínio


Dez 10, 16

O vocábulo latino vaticinĭum chegou ao nosso idioma como vaticínio. Trata-se de um augúrio, um pressentimento, um prognóstico ou uma profecia.

Exemplos: “De acordo com o vaticínio do jornalista, o candidato oficialista irá impor-se nas eleições”, “Os vaticínios dos economistas para o segundo semestre não são nada optimistas”, “O meu vaticínio foi cumprido! O tio Manuel voltou a chegar atrasado”.

Os vaticínios podem ser comentários que se realizam sem demasiadas análises nem sustento lógico. Neste caso, trata-se de predições pronunciadas num contexto preciso: “O meu vaticínio é que vou vencer-te por três a zero: sou imbatível a jogar PlayStation”, “Vou preparar uma refeição rica e prova-te que o teu vaticínio sobre as minhas habilidades culinárias estava errado”, “Basta de vaticínios: esperemos que comece o sorteio e aí saberemos quem acabará a ganhar”.

Às vezes, os vaticínios estão associados a poderes místicos ou sobrenaturais. Conhece-se como “Vaticínios de Nostradamus”, neste sentido, a uma série de aquarelas criadas pelo vidente Nostradamus (1503–1566), nas quais há aqueles que crêm que o autor antecipa factos futuros.

“Vaticinia de Summis Pontificibus”, por outro lado, são textos escritos em latim que se referem às eleições dos papas da Igreja católica.

Também se podem assinalar como vaticínios os prognósticos levados a cabo com critérios científicos ou racionais. Quando um meteorologista, após analisar a informação proporcionada pelos satélites e outros instrumentos, antecipa como estará o tempo nos próximos dias, poderá dizer-se que oferece um vaticínio. Ainda que esses prognósticos possam falhar, desenvolvem-se de acordo com estudos sistematizados e conhecimentos contrastados.