Conceito de vírus




Set 14, 11 Conceito de vírus

Vírus é uma palavra de origem latina, cujo significado é veneno ou toxina. Trata-se de uma entidade biológica com capacidade para se auto-replicar ao utilizar a maquinaria celular.

Um vírus é formado por um capsídeo de proteínas que envolve o ácido nucleico (ADN ou ARN). Esta estrutura, por sua vez, pode estar rodeada pele envelope viral (uma camada lipídica com diferentes proteínas).

O ciclo vital do vírus, que é um agente potencialmente patogénico, necessita da maquinaria metabólica da célula invadida para que, desta forma, possa replicar o seu material genético e produzir muitas cópias do vírus original. Este processo pode prejudicar a célula e, inclusive, destrui-la.

Este funcionamento tem sido imitado pelos chamados vírus informáticos, que são programas que se copiam automaticamente e cujo objectivo consiste em afectar o normal funcionamento de um computador, sem o consentimento do utilizador.

No sentido lato do termo, os vírus informáticos são programas podendo ser replicados e executados por si mesmos. Na prática, substituem arquivos executáveis do sistema por outros infectados com o malware. Os vírus podem simplesmente incomodar o utilizador, bloquear as redes ao gerar tráfico inútil ou, directamente, destruir os dados armazenados no disco duro do computador.

Existem duas grandes distinções entre as classes de vírus. Por um lado, encontram-se os vírus que infectam arquivos: estes, por sua vez, dividem-se em vírus de acção directa (a infecção é produzida no momento em que são executados) e vírus residentes (alojam-se na memória do computador e infectam os restantes programas na medida em que acedem aos mesmos). Por outro lado, aparecem os vírus de boot ou do sector de arranque.