Conceito de polifonia


Abr 07, 15

Polifonia é uma noção que deriva da língua grega. O conceito refere-se à simultaneidade de sons diferentes que formam uma harmonia. Deste modo, apesar de serem sons independentes, o ouvinte percebe-os com um todo.

Uma composição polifónica consta de diversas melodias básicas. Dependendo das qualidades das pessoas, cada sujeito poderá detectar mais ou menos melodias independentes no âmbito da criação polifónica.

O que implica a polifonia, em suma, é uma certa classe de textura musical. Esta ideia engloba as harmonias, os ritmos e as melodias que se põem em jogo ao criar uma composição, dotando-a de diversas qualidades. A textura musical é o resultado das relações entre estes componentes: na polifonia, a variedade das melodias não impede reconhecer a obra como um todo.

A noção de polifonia também aparece na literatura para designar a multiplicidade de vozes dentro de uma mesma obra. O termo foi assim alcunhado por Mijail Bajtín, quem estudou como, em certos romances, cada um dos personagens expressava a sua forma de entender a realidade, o que permitia ao leitor aceder a diversas cosmovisões (visões do mundo).

Para Bajtín, o Eu do discurso é sempre social. Os modos de expressão estão atravessados por experiências, costumes, valores e conhecimentos que derivam naquilo que conhecemos como ideologia: desta forma, não há maneira de se expressar por fora da ideologia. O produtor de um texto, neste sentido, é o resultado da inter-relação entre a ideologia e o sistema linguístico, dando lugar à polifonia.