Conceito de efémero


Nov 29, 11

O termo efémero, que provém de um vocábulo grego que significa “de um dia”, permite fazer alusão àquilo que é passageiro ou de curta duração. Algo que é efémero tem pouca vida e desaparece ou acaba passado pouco tempo.

Por exemplo: um jogador de futebol é contratado por um clube, joga duas partidas e rescinde o seu contrato. A imprensa fala, nesse caso, da efémera passagem do jogador em questão pela equipa.

“Estamos juntos há trinta e oito anos, e as raras discussões que tivemos foram efémeras”, poderá explicar um homem a referir-se a um casamento de grande duração. O adjectivo efémero é antónimo a extenso, longo e duradouro.

Existe um insecto que se chama precisamente efémero (da família dos Efemerídeos), o qual mede apenas dois centímetros de comprimento, tem manchas nas asas e vive nas margens dos rios. Tem esse nome por viver apenas um dia.

Estêvão II, por sua vez, é mais conhecido como sendo o Papa efémero, uma vez que veio a falecer três dias depois de ter sido eleito, em 752. O religioso não figura nas listas oficiosas de pontífices pelo facto de não chegar sequer a ser nomeado bispo de Roma, que era um requisito para ser papa naquela altura.

Em termos filosóficos, o efémero está associado àquilo que é pouco relevante, superficial e não transcendente. É suposto as belas artes e as manifestações mais eminentes da cultura terem a particularidade de perdurar no tempo (isto é, não serem efémeras): “O crítico de arte assegurou que a actual exibição que está a decorrer no Museu das Belas Artes irá ter uma vida efémera e que rapidamente será esquecida pelos assistentes”.