Conceito.de

Conceito de panteísmo

O panteísmo é o sistema de crença daqueles que sustentam/defendem que a totalidade do universo é o único Deus. Esta cosmovisão (visão do mundo) e, simultaneamente, doutrina filosófica afirma que o universo inteiro, a natureza e Deus são o mesmo. Noutros termos, a existência (tudo o que foi, é e será) pode ser representada através da noção teológica de Deus.

Cada criatura existente, segundo o panteísmo, é uma manifestação de Deus, que ganha forma humana, animal, vegetal, etc. Para muitos especialistas, o panteísmo é o nexo que une as religiões não criacionistas, para além de aparecer na essência dos politeísmos.

Nos dias atuais, o panteísmo foca na totalidade e possui um caráter sincrético, ou seja, ele se constitui por outras religiosidades que tenham uma semelhança a ele, especialmente aqueles que relatam da contemplação humana a vida e ao ambiente, tendo, assim, como exemplos a filosofia pré- socrática, o paganismo, zen budismo, naturalismo, entre outras.

Quem é adepto dessa filosofia de vida não crê que haja um deus pessoal e que seja criador.

O panteísmo, de qualquer forma, não costuma ser considerado como uma religião, mas antes uma concepção do mundo ou uma filosofia. Tendo em conta a sua amplitude, pode ser entendido de diversas maneiras.

O panteísmo, por um lado, pode considerar que a realidade divina é a única realidade existente. O universo inteiro, por conseguinte, é uma manifestação ou uma emanação de Deus. Por outro, o panteísmo pode entender que o mundo é a única realidade verdadeira: Deus, neste caso, fica reduzido ao mundo e converte-se na autoconsciência do universo ou no princípio orgânico do natural.

O termo “panteísmo” é derivado do grego “pan” (que quer dizer “tudo”) e “theos” (que significa “deus”). Existem muitas divergências no panteísmo, contudo o foco principal é de que deus é todo o cosmo e ambos são um, formando, assim, uma figura que é abrangente, logo, não se pode aceitar o politeísmo ali (que é a adoração e crença em vários deuses), uma vez que as divindades são cridas como sendo de aspectos distintos do que é absoluto.

Vários dos principais pensadores da história da humanidade são considerados panteístas. Heráclito, por exemplo, sustentava que o divino se encontra presente em todas as coisas. Para Plotino, Deus é o princípio de tudo, mas não é tudo. Giordano Bruno, por sua vez, acreditava na existência da alma do mundo, que é a forma geral do universo. Para Baruch de Spinoza, por fim, nada pode ser nem conceber-se/existir fora de Deus.

Cabe dizer ainda que, nas doutrinas ocidentais, o panteísmo é a que mais tem alguma proximidade com as doutrinas do taoismo, budismo e também do hinduísmo. E é ainda a que possui uma linha filosófica que mais tem similaridade com a da hermética do Antigo Egito, qual se tinha como foco central a conspiração Cósmica/Universal.

Outra coisa importante a se mencionar é que não se deve fazer confusão do panteísmo com o pandeísmo. Esse segundo trata-se de uma corrente filosófica resultante da mistura do panteísmo com o deísmo. O pandeísmo defende que deus precede o Universo e é o seu criador, mas também faz parte da sua totalidade.