Conceito de ficção científica


Jul 16, 12

A ficção científica é um género cujos conteúdos se baseiam em supostos feitos científicos ou técnicos que poderiam acontecer no futuro. Este fundamento científico faz que a ficção científica se diferencie do género fantástico, onde as situações e os personagens são fruto da imaginação.

O género da ficção científica também foi conhecido como literatura de antecipação, dadas as características mencionadas. Efectivamente, muitos autores de ficção científica conseguiram antecipar/prever o surgimento de diversos inventos, como foi o caso Júlio Verne com os submarinos ou as naves espaciais.

A ficção científica nasceu como um subgénero literário na década de 1920. Com o tempo, foi-se alargando a diferentes formatos. A ficção científica cinematográfica foi uma das adaptações de maior sucesso, principalmente a partir da segunda metade do século XX.

Há quem distinga a ficção científica “hard” (dura) da ficção científica “soft” (macia), de acordo com o rigor com que são tratados e abordados os dados científicos. A ficção científica dura será portanto “a mais científica”, sem demasiado espaço para a imaginação. No entanto, a ficção científica “soft” inclui algumas suposições sem base científica ou real.

Entre os autores mais famosos da ficção científica, destacaremos Isaac Asimov (1920-1992, autor de “Nós robôs”), Ray Bradbury (1920, “Crónicas marcianas”, “Fahrenheit 451”), Arthur C. Clarke (1917-2008, “Odisseia no Espaço”), Aldous Huxley (1894-1963, “Admirável Mundo Novo”), Ursula K. Le Guin (1929, “The Dispossessed”) e o já referido Júlio Verne (1828-1905, “Viagem ao centro da Terra”, “Vinte Mil Léguas Submarinas”).