Conceito de oração simples




Set 19, 11 Conceito de oração simples

O termo oração provém do latim oratĭo e tem várias acepções. Para a gramática, trata-se do constituinte sintáctico mais pequeno possível capaz de expressar uma proposição lógica. Como tal, é uma palavra ou um conjunto de palavras com autonomia sintáctica.

Existem diversas classificações das orações, dependendo da estrutura sintáctica, da atitude do falante e de outros factores. As chamadas orações simples são aquelas que têm um único núcleo verbal (isto é, um único predicado).

As orações simples correspondem às estruturas mais simples de entre todas as orações, uma vez que não pertencem a nenhuma unidade gramatical maior. Por outras palavras, graças à sua simpleza, são as orações mais utilizadas na infância (pelas crianças, portanto) e por quem esteja em processo de aprendizagem de uma língua estrangeira.

As orações simples podem ser classificadas de acordo com o seu significado (existem orações/frases simples enunciativas, imperativas, interrogativas, dubitativas e desiderativas) ou segundo o tipo de predicado (oração simples atributiva ou oração simples predicativa).

No caso das orações simples predicativas, podem dividir-se em predicativas activas (quando é o sujeito quem pratica a acção) e em predicativas passivas (quando a acção é praticada sobre o sujeito).

Uma nova divisão pode ser realizada a partir das orações predicativas activas em transitivas, intransitivas, recíprocas e reflexivas, ao passo que as orações predicativas passivas podem ser organizadas em próprias e improprias. Como se pode constatar, as orações podem ser classificadas de acordo com numerosos grupos.

“O Estêvão comprou uma casa”, “A Marta foi de viagem até Paris”, “O Pedro tem um gato preto” e “A Lúcia partiu a janela” são alguns exemplos de orações simples.