Conceito.de

Conceito de analogia

Analogia, do latim analogĭa embora com origem mais remota no vocábulo grego que se pode traduzir como “semelhança” ou “proporção”, é um termo que indica uma relação de semelhança/similitude entre coisas diversas. O conceito permite referir-se ao raciocínio que se baseia na detecção de atributos semelhantes em seres ou coisas diferentes.

Exemplos: “Parece-me que o público não entendeu a minha analogia entre o revólver e o microfone”, “O presidente da câmara surpreendeu ao fazer uma analogia entre a situação que se vive na localidade e aquela registada nos principais centros económicos do mundo”, “Não apreciei a analogia que fizeste entre a minha carreira e o percurso daquele indivíduo”.

Uma analogia, por conseguinte, é uma comparação entre objetos, conceitos ou experiências. Ao estabelecer uma analogia, são indicadas características particulares e gerais e são estabelecidas as semelhanças e diferenças entre os elementos contrastados.

Quando uma pessoa está abordando sobre um tema e traz outro tema, assunto ou história para a conversa a fim de realizar uma comparação para tornar a explicação mais clara, é comum que se use a analogia.

Um exemplo seria se uma pessoa quisesse explicar sobre como o estudo aos poucos é importante, ou seja, ainda que se estude 20 ou 30 minutos por dia, fazendo isso de forma constante se teria resultado, seria como uma galinha que bica e come o milho grão a grão e consegue encher o seu papo.

Esse acima é um exemplo de analogia, ou seja, explicamos algo tendo como base uma situação comum, algo que todos entendem, para facilitar a compreensão. A analogia facilita muito o entendimento de explicações, especialmente no caso de temas mais complexos.

É possível fazer uma analogia com diferentes objetos, ações, situações, experiências, etc., mas sempre tendo como foco a semelhança entre eles.

Na bíblia, por exemplo, existem muitas analogias. Uma delas é a feita por Jesus Cristo, um exemplo seria quando ele compara o semeador que deixa suas sementes caírem em diferentes caminhos (com espinhos, em pedregais, ao pé do cainho, etc.), em seguida comparando esse semeador com aquele que anuncia a palavra, as sementes como a palavra do Reino dos Céus e os locais onde as sementes caem com as pessoas e em como a palavra de Deus fica no coração delas: ora sendo esquecida, ora recebendo a palavra com alegria mas depois, quando chegam tempos ruins, essa pessoa se desanima e se ofende. etc.

No âmbito da biologia, a analogia é a semelhança entre partes que, em diferentes organismos, apresentam uma função parecida e uma mesma posição relativa, ainda que com uma origem diferente.

Para a linguística, a analogia consiste na criação de novas formas ou na modificação com base na semelhança com outras. A gramática, por sua vez, recorre à noção de analogia para fazer referência à semelhança formal que existe entre os elementos linguísticos que cumprem com uma mesma função ou que têm coincidências relevantes entre si.

O direito, por fim, sustenta que a analogia é o método que permite que uma norma jurídica se estenda, por identidade de razão, a casos não compreendidos nela.