Conceito.de

Conceito de estranho

Do latim extranĕus, estranho é algo raro ou singular. O termo, por conseguinte, é usado em contraposição àquilo que é comum, corrente ou ordinário. Exemplos: “É muito estranho, ontem à noite, fechei a janela e, mesmo assim, o piso ficou molhado”, “O Rúben sofre de um mal estranho que só pode ser tratado no estrangeiro”, “Não conheço ninguém mais estranho do que o Miguel”.

Estranho também é aquilo que pertence a uma família, um grupo, uma nação, etc., diferente do que se sobreentende, em contraposição ao que é nosso: “O Koshiko vem de uma cultura estranha relativamente à nossa, pelo que temos de fazer um grande esforço para o entender e fazer com que ele se sinta bem”, “Repara neste animal tão estranho: nunca tinha visto outro igual”, “Neste país, há edifícios muito estranhas”.

Dito de uma pessoa ou de uma coisa, este adjectivo refere-se àquela que é diferente em relação ao conjunto de que faz parte: “Ver carros multicolores é estranho em qualquer cidade do mundo”, “O Cláudio está triste porque se sente como um estranho na sua própria família”.

O conceito, por outro lado, é usado para se referir aos desconhecidos (a quem não se conhece): “Por favor, lembra a avó para não abrir a porta a estranhos”, “A mamã sempre me disse para não falar com estranhos”, “É importante ensinar os filhos para não fazer festas a cães estranhos mesmo que estejam acostumados a brincar com os seus próprios animais de estimação”.

O que é extravagante e pouco frequente também se pode qualificar de estranho: “O artista conseguiu chegar à fama com o seu estranho sentido do humor”, “Dizem que ele tem hábitos sexuais muito estranhos”.