Conceito.de

Conceito de razão

Escutar o artigo

O termo razão provém do latim ratĭo. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora abarca várias acepções para esta palavra, entre elas a faculdade de refletir/reflexionar, o argumento que se alega para sustentar algo, o motivo ou a causa, e o quociente de dois números.

Para a filosofia, a razão é a faculdade em virtude da qual o ser humano é capaz de identificar conceitos e de os questionar/pôr em causa. Desta forma, consegue determinar a coerência ou a contradição entre eles e pode induzir ou deduzir outros diferentes daqueles que já conhece.

A razão apela a distintos princípios tautológicos (que se explicam por si mesmos), como o princípio da identidade (que evidencia que um conceito é esse mesmo conceito), o princípio da não contradição (um mesmo conceito não pode ser e não ser em simultâneo) e o princípio (ou a lei) do terceiro excluído (entre o ser ou não ser de um conceito, não cabe situação intermédia).

Por outro lado, pode-se mencionar dois grandes tipos de raciocínio: o dedutivo (que considera que a conclusão está implícita nas premissas) e o indutivo (obtém conclusões gerais de algo em concreto).

A razão da progressão geométrica é a constante numa comparação de duas quantidades pelo seu quociente. Tem por base a capacidade de determinar quantas vezes contém uma à outra.

Razão é ainda um termo empregado junto com o termo social, tendo razão social, e que define o nome de registro de uma empresa. Esse nome é dado quando se é uma pessoa jurídica (mediante um cadastro de pessoa jurídica) e esse nome constará em contratos, escrituras, notas fiscais, entre outros documentos.

Esse nome deve ser único e exclusivo para a empresa, por isso que antes do empresários registrar a empresa deve fazer uma busca para saber se já não existe outro negócio com o mesmo nome, a fim de evitar problemas, porém, se já existir um nome registrado, o registro de uma nova empresa com o mesmo nome será impossibilitado.

No Brasil, a empresa tem o direito a razão social garantido pela Constituição Federal, através do Código Civil Brasileiro e também garante esse direito a Convenção da União de Paris para assuntos da Propriedade Industrial.

Por outro lado, temos o nome fantasia da empresa que pode ou não ser o mesmo da razão social. Geralmente o nome fantasia pode ser apenas uma parte do nome usado na razão social, por exemplo.

Usa-se a expressão “não há razão” como sinônimo de “não existem motivos”, por exemplo: “ele acabou deixando tudo para trás e foi embora sem nem ao menos despedir-se, mas não havia razão para isso”.

Por fim, convém frisar que existem muitos provérbios sobre a razão: “O coração tem razões que a própria razão desconhece”; “À medida que a razão cresce, o instinto enfraquece”; “A razão das razões é a experiência”; “Onde governa a razão, obedece o apetite”, entre outras…

Cabe ainda dizer que a razão é contrária a emoção, pois na razão costuma-se pensar e agir de acordo com uma dedução, já na emoção as atitudes são geralmente impensadas, atuando por meio do impulso.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (21 de Janeiro de 2012). Conceito de razão. Conceito.de. https://conceito.de/razao