Conceito de rio


Mar 23, 12

O termo rio provém do latim rius. Trata-se de uma corrente natural de água contínua que desemboca noutra similar, num lago ou no mar. Ao rio que desagua noutro dá-se-lhe o nome de afluente.

Cada rio possui um caudal, o qual não é propriamente constante ao longo do ano. Nos períodos de maiores precipitações, o caudal aumenta. Porém, se chover pouco ou perante elevadas temperaturas, o caudal baixa e, inclusive, em situações extremas, o rio acaba por secar.

Um rio pode ser perene se o curso de água se encontrar em zonas com chuvas abundantes ou onde se regista uma alimentação freática suficiente; sazonal, se estiver em regiões em que as estações são muito diferenciadas e o clima é de tipo mediterrâneo; transitório, se estiver situado em zonas de clima seco ou desértico; ou alóctone, se se encontrar numa zona árida e se as suas águas provierem de outras regiões mais chuvosas.

Pode-se classificar os rios de acordo com a sua geomorfologia. Os rios rectilíneos têm uma sinuosidade baixa e têm um único canal. Os rios anastomosados, por sua vez, têm canais múltiplos e uma grande capacidade de transporte e sedimentação. Por fim, os rios meandrantes apresentam uma sinuosidade elevada e um canal único.

O maior rio do mundo é o Amazonas, com 6.800 quilómetros de extensão. Depois, segue-se o Nilo, com 6.450 quilómetros.

Por fim, em sentido figurado, dá-se o nome de rio àquilo que corre como um curso de água, bem como à abundância de algo (“Gastaram-se rios de tinta só para escrever sobre a vida do presidente”).