Conceito.de

Conceito de selecção artificial

O conceito de selecção artificial é usada no âmbito de uma técnica de controlo e de manejo da reprodução. Esta selecção consiste em escolher/eleger os fenótipos dos organismos que se cultivam ou se criam.

Deste modo, a selecção artificial implica uma manipulação das características que se herdam. Através da ciência, é possível incrementar a frequência com que se apresentam as mudanças/alterações genéticas nas sucessivas gerações. Esta particularidade permite orientar a evolução das espécies de acordo com as necessidades do ser humano.

De um modo geral, a selecção artificial é orientada com vista a obter exemplares diferenciados para a reprodução. A partir das novas gerações, começam a surgir exemplares com as características desejadas de forma estável.

É importante saber que a selecção artificial se pode classificar em vários grupos, consoante diversos critérios que se têm em consideração. Em concreto, as classificações mais frequentes são estas:

-Consoante a metodologia que for usada para ser levada a cabo, podem-se dividir em dois grandes grupos: a selecção negativa, que é aquela que é cometida para que se produzam exemplares com certas características que não são as desejadas, ou selecção positiva, que se leva a cabo para favorecer a reprodução de exemplares que contam com determinados sinais de identidade.
-Dependendo a planificação que se tiver usado, pode-se dizer que há dois grandes tipos de selecção artificial: a inconsciente, quando o plano não está estabelecido, pois surge por determinadas preferências, e o consciente, quando o dito plano de selecção se se encontrar previamente estabelecido e fixado.
Entre os exemplos mais claros de selecção artificial ou que tenham dado lugar a exemplares conhecidos destacam-se os seguintes:
-O cão xoloitzcuintle, que apresenta características físicas consideradas estéticas para um cão e que serve fundamentalmente como animal de companhia/estimação.
-Está determinado que a couve-flor ou o brócolo são fruto de uma selecção artificial realizada pelos agricultores a partir da planta conhecida como Lepidium Campestre.
-A banana é uma fruta que também se obtém através do processo que nos importa, à semelhança do milho.
Tudo isto sem esquecer que, da mesma maneira, diversas plantas ornamentais que temos ao alcance da mão são fruto do tal procedimento.

A selecção artificial tende a ser motivo de debate, pois tem implicações éticas. O ser humano, ao recorrer à ciência para seleccionar fenótipos, modifica a selecção natural: isto é, altera o curso da natureza conforme as suas necessidades.
Em muitos casos, no entanto, a selecção artificial é aceite sem grandes questões, pois torna-se uma necessidade. O aumento da população mundial, por exemplo, exige uma produção maior de alimentos: a selecção natural pode ajudar a que as plantas comestíveis cresçam mais rapidamente e com maior capacidade de resistência.

ÚLTIMAS DEFINIÇÕES

Conceito de

batuta

O conceito de batuta vem da palavra italiana “battuta”, que pode ser traduzida como “compasso”. A noção...

Conceito de

batucada

A ideia da batucada refere-se a uma música afro-brasileira que se caracteriza pelo uso de instrumentos de percussão. Também se...

Conceito de

batráquio

A história etimológica do termo batráquio começa com a palavra grega “bátrakos” que se traduz como...

Conceito de

batimetria

A batimetria é uma noção que é formada pela palavra grega “bathýs” (que pode ser traduzida como...

Conceito de

base química

Aquilo que atua como suporte, fundamento ou essência de algo é chamado de base. A química, por outro lado, é a ciência...

Conceito de

bater

As primeiras definições de bater mencionadas no dicionário da Real Academia Espanhola (RAE) aludem a fazer um ataque, golpear...

Conceito de

taco

O conceito de taco é usado para nomear um pau com punho e ponta mais grossa que é usada em vários esportes para bater em uma...

Conceito de

base monetária

Para entender com precisão o significado da base monetária, devemos primeiro analisar cada um dos termos que compõem a...

ARQUIVOS