Conceito.de

Conceito de ecossistema artificial

Um ecossistema é um ambiente específico no qual os processos vitais de um grupo de seres vivos se encontram inter-relacionados. Os fatores bióticos (como os animais, as plantas e os microorganismos) e os fatores abióticos (o ar, a água) fazem parte desse ambiente partilhado.

Os organismos interdependentes que compõem essa unidade estabelecem cadeias alimentares, isto é, correntes de energia e de nutrientes produzidas através da nutrição (uma espécie alimenta-se daquela que a precede na cadeia e, por sua vez, serve de alimento à seguinte).

A noção de ecossistema, em geral, está associada ao ecossistema natural, onde o biótico e o abiótico se encontram em equilíbrio sem intervenção do homem. Porém, há que frisar que existem os chamados ecossistemas artificiais, que são criados pelo ser humano e que não existem na natureza. As estufas, as barragens e os aquários são alguns dos exemplos de ecossistemas artificiais.

A acepção mais ampla do conceito de ecossistema artificial inclui os assentamentos urbanos como as cidades, apesar de apresentarem várias diferenças relativamente aos ecossistemas naturais.

Áreas reflorestadas e também locais onde haja proteção da flora e da fauna são bons exemplos de ecossistemas naturais que foram modificados pelo homem e agora são ecossistemas artificiais. Essa é uma tentativa do ser humano de imitação do ecossistema natural.

Outra diferença entre o ecossistema natural e o artificial é que no natural o homem não interfere nas interações entre as espécies, enquanto que no artificial há essa interferência, onde o homem pode determinar tanto as espécies de animais que viveram naquele ambiente quanto também o tipo de espécies de plantas existentes no local.

Há discussões sobre as vantagens e desvantagens desse tipo de ecossistema, onde alguns defendem que ele tem sido importante para a preservação de espécies, sendo alguns mais resistentes e estáveis do que o ecossistema natural, enquanto outros relatam que o ecossistema artificial não é naturalmente sustentável.

A modificação de um ecossistema natural por parte do homem também pode dar origem a um ecossistema artificial. Um ecossistema natural que sofra a extinção de alguma espécie pela ação humana já perde, à partida, a sua condição original, pelo que pode passar a ser considerado um ecossistema artificial ou, pelo menos, um ecossistema natural modificado.

Há que ter em conta que a modificação dos ecossistemas naturais costuma trazer consequências como a desertificação e o aparecimento de pragas, o que acaba por prejudicar a biodiversidade e os recursos da natureza.

Os ecossistemas artificiais também são conhecidos como “biosferas artificiais” e não são uma novidade, mas datam de muitas décadas atrás. Descreve-se que os primeiros apresentados foram em miniaturas e surgiram no século XX, sendo que o objetivo desses era a recreação e pesquisas científicas.

Através desse projeto provou-se que era possível a criação de um ecossistema em menor escala, podendo recriar cenários gigantescos em algo de pequena escala. E com isso os cientistas passaram a estudar ainda mais esse ecossistemas artificiais e criaram ecossistemas maiores, em grande escala.

Há como exemplo de primeiro ecossistema artificial em grande escala o complexo BIOS-1 (uma sigla em inglês que, traduzindo, significa “Sistema Biológico Fechado de Suporte de Vida – 1”) que foi criado em 1995, sendo um complexo subterrâneo de 12 m³, em Krasnoyarsk, na Rússia, desenvolvido pelo Instituto de Biofísica da Academia Russa de Ciências.