Conceito de cosmopolita




Mai 30, 12 Conceito de cosmopolita

A palavra cosmopolita provém de um termo grego que, em português, significa “cidadão do mundo”. Trata-se de um adjectivo que permite descrever tudo aquilo que é comum aos países. Dito de um indivíduo, um ser cosmopolita é aquele para quem todos os cantos do planeta são a sua pátria. Relativamente a um animal ou a uma espécie vegetal, diz-se que um organismo é cosmopolita quando se ambienta a qualquer território ou consegue suportar todo o tipo de condição climática.

Os primeiros a terem usado o termo cosmopolita foram os filósofos estóicos, os quais se declaravam abertamente cidadãos do mundo. Eram os integrantes de um movimento filosófico, criado por Zenão de Cítio no ano 301 a.C, que deixou à humanidade como legado a sua teoria do conhecimento ou a moral estóica.

“Cidadão do mundo” é uma expressão que se aplica a quem pretende superar os limites da divisão geopolítica e as cidadanias nacionais que correspondem aos diversos Estados soberanos. Os cosmopolitas recusam a identidade patriótica que impõem os governos nacionais e reconhecem-se como independentes ao serem ser cidadãos da Terra.

Para além da questão ideológica ou filosófica, o cosmopolita íntegro defende um plano político idealizado para desenvolver um modelo novo de cidadania que possua alcance global e cuja adesão seja voluntária.

Os cosmopolitas acham que a pessoa deveria adquirir compromissos voluntários e o direito à participação activa no lugar onde bem entender viver, no seio de uma administração local e federativa com outras localidades. Desta forma, o homem seria cidadão local da zona da qual fosse vizinho sempre que ali morasse e manteria a vontade de ser cidadão.

Entre as causas que defendem os cosmopolitas, destacam-se a liberdade de qualquer tipo de opinião nacional, étnica, sexual ou religiosa, a igualdade de género, as línguas auxiliares, o sistema universal de pesos e medidas, a moeda universal, a globalização democrática e a educação e os cuidados de saúde para todos.

Da mesma forma, também há que destacar que, hoje em dia, o termo cosmopolita é bastante usado para fazer referência a diversas cidades do mundo. Em termos concretos, quando é usada essa palavra para fazer referência a um grande cidade, significa que vivem na mesma muitas pessoas oriundas de diferentes lugares do mundo, que convivem com diversas culturas e que está aberta a todo o tipo de influências culturais venham de onde vierem.

Posto isto, por exemplo, em Portugal, é frequente que se faça uso do dito adjectivo para qualificar lugares como Lisboa ou o Porto. Segue-se um exemplo: “Lisboa é uma cidade cosmopolita que abre os seus braços para dar as boas-vindas a pessoas de todo o mundo dispostas a enriquecer com a mescla cultural que existe graças à convivência harmoniosa de cidadãos africanos, sul-americanos, europeus ou asiáticos”.

Por fim, relembremos que existe a revista Cosmopolitan, que nasceu nos EUA em 1886. Está disponível em 34 idiomas e é vendida em mais de cem países. Destina-se essencialmente ao público feminino, e resulta de uma panóplia de perspectivas e visões.