Conceito de maturidade




Jan 28, 12 Conceito de maturidade

O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora aponta para várias acepções do termo maturidade: o estado da fruta quando está madura (enquanto sinónimo de “madureza”); a capacidade de julgamento, prudência ou sensatez; o estado de espírito no seu culminar; e a idade da pessoa que tenha alcançado a sua plenitude vital sem necessariamente ter chegado à velhice.

Para a psicologia, alcançar uma certa idade não implica ter chegado à maturidade emocional. Os especialistas são da opinião de que nenhuma pessoa deixa de ser, em certos aspectos, uma criança, tendo em conta que todos nós necessitamos da protecção dos outros.

O facto de cuidarmos de nós próprios é um processo que começa na adolescência e que basicamente finaliza com a morte. Por isso nos custa a aceitá-lo, sendo algo que varia consoante as várias personalidades.

Posto isto, a maturidade não é unicamente uma etapa cronológica, pois prende-se com o estado mental e é uma questão de atitude. Nem sempre se amadurece de forma integral nem em todos os aspectos da personalidade.

A imaturidade emocional, por exemplo, está relacionada com os laços afectivos arcaicos, os quais são mais difíceis de quebrar, e que causam dependência, medos e uma debilidade do “Eu” que prefere viver como uma prolongação de outro.

A imaturidade social, por outro lado, reflecte-se na não-aceitação da própria unicidade (pretende-se ser outro). Isto pode acontecer quando não se aceita a nova morfologia que o corpo adquire (na fase da adolescência/puberdade), impedindo portanto passar para o mundo adulto.

Diz-se que uma pessoa é madura quando esta apresenta coerência interna, conseguindo pensar, dizer e proceder de igual forma, sem eventuais contradições e com convicção.