Conceito.de

Conceito de aula invertida

Escutar o artigo

Aula invertida (ou sala de aula invertida) é um método de ensino diferente do tradicional.

sala invertida
Na sala invertida, o aluno é o protagonista no processo de aprendizagem

No formato tradicional de aula, o aluno (discente) toma o papel passivo, apenas absorvendo o que é apresentado pelo docente (professor). Mas na aula invertida acontece o contrário.

O objetivo da aula invertida é preparar os alunos para que consigam enfrentar bem os desafios da sociedade. E os alunos, por meio desse método de ensino, desenvolvem um pensamento crítico e analítico, com eficiência para a solução de problemas.

No mercado de trabalho, as empresas buscam profissionais com essas qualidades.

E por meio da aula invertida, além do aluno ser capaz de desenvolver autonomia para a atuação em sala de aula, ele também estará sendo capacitado para conseguir, mais tarde, se destacar no mercado de trabalho.

Vantagens da sala de aula invertida

Uma das vantagens desse tipo de metodologia de ensino é proporcionar economia de tempo.

Quando os alunos já possuem algum conhecimento prévio sobre o tema, então podem aparecer menos dúvidas, havendo menos interrupções nas aulas. Com isso, até mesmo o tempo necessário para ministrar a aula poderá ser menor.

Outras vantagens são o aumento no rendimento, maior engajamento dos alunos, além do que, notou-se que as instituições que implementaram essa metodologia em sala de aula viram as notas dos alunos aumentarem.

Como o aluno é o protagonista, ele tem um papel ativo, assumindo a direção do seu aprendizado. Ele controla o seu ritmo de aprendizado e estuda do modo que é mais apropriado para si.

História da aula invertida

A aula invertida é uma forma de ensino que surgiu nos Estados Unidos, tendo como base o desenvolver de uma atitude no estudante que o faça refletir e ter mais responsabilidade.

Com isso, os estudantes não mais focam em processos automáticos, com a memorização e repetição das informações absorvidas, senão que eles agora desenvolvem processos que, muitas das vezes, se adaptam à sua realidade.

Tal conceito foi apresentado nos anos de 1990, com o trabalho de pesquisadores norte-americanos de Harvard e Yale. Mas a aplicação da aula invertida se deu apenas em 1996, na Miami University, em Ohio, Estados Unidos.

Mas o responsável pelos avanços nos estudos sobre essa metodologia foi o pesquisador J. Wesley Baker, da Cedarville University.

Ainda, professores como Jonathan Bergmann, Aaron Sams e Karl Fisch ajudaram a tornar essa metodologia popular. E a mesma tem sido difundida em vários locais pelo mundo.

Nas instituições de ensino de países como Austrália, Argentina, China, Emirados Árabes, Islândia, México, Irlanda, Turquia, Espanha, Colômbia, Noruega, Espanha, Peru, Chile e Itália essa metodologia já tem sido adotada. O Brasil também tem começado a adotar a aula invertida em algumas universidades.

Estruturação desse método de aprendizado

Na aula invertida, o processo de ensino é construído com base no conhecimento prévio do aluno sobre o que será ministrado na aula.

O professor pode disponibilizar previamente para os alunos o conteúdo que será estudado, então os alunos leem e estudam sobre aquilo um dia antes, fazem anotações, reunindo dúvidas, etc. E no dia da aula há um processo de debate entre esses alunos e o professor sobre o tema.

Com o advento e disseminação da tecnologia, esse processo pode ser mais prático. Há plataformas que funcionam online, quais o professor pode usar para disponibilizar os materiais necessários.

Cada aluno aprende no seu ritmo

Diferente da aula tradicional, a aula invertida permite que o aluno desenvolva e assimile conteúdo no seu ritmo. Mas é necessário que para isso haja a figura do professor que o encorajará.

Na aula tradicional, os alunos acompanham, juntos, a explicação apresentada pelo professor e precisam estar todos num mesmo ritmo de aprendizagem. E isso pode acabar deixando alguns para trás, posto que cada aluno possui então um ritmo de aprendizado.

Métodos distintos e específicos são usados a fim de ajudar o aluno a aprender e assimilar conteúdos no seu ritmo.

Há, por exemplo, como usar recursos como grupos de estudo, leitura silenciosa e outros. E como o foco é na individualidade, ajudando cada aluno a entender o que é ensinado, são propostos caminhos variados para isso, o que ajuda cada um a conseguir estar de modo mais ativo nesse processo.

E assim, esse método de aprendizado são se baseia em regras, mas pode utilizar distintos meios, exercícios, fontes, etc. para que os alunos consigam construir conhecimento.

Para que essa metodologia seja aplicada de maneira eficaz, o professor deve realizar um planejamento. Assim tudo o que for utilizado ajudará o aluno e não causará confusão.

Aula invertida e acesso ao material digital

conceito de sala invertida
Na sala de aula invertida, é comum o uso da tecnologia para liberação de conteúdos

Esse tipo de ensino geralmente usa a tecnologia para que o professor compartilhe o material com os alunos, logo, a internet e seus recursos são importantes nesse caso.

Mas é importante mencionar que essa metodologia se diferencia também do uso apenas das aulas por meio de conteúdo digital.

Quando o aluno apenas tem acesso a um material e o estuda, não havendo o debate do tema pessoalmente, não há a mesma eficácia no aprendizado que há na aula invertida.

 

Citação

SOUSA, Priscila. (12 de Junho de 2022). Conceito de aula invertida. Conceito.de. https://conceito.de/aula-invertida