Conceito.de

Conceito de basílica

A história etimológica da palavra basílica começa na língua grega, com um vocábulo que chegou ao latim sob a designação de basilĭca (que alude a um “edifício público”). No nosso idioma, uma basílica é uma igreja que sobressai pela sua dimensão, a sua história ou outras características especiais.

Aquele vocábulo primogénito do grego estava vinculado a uma casa real e fazia referência a um recinto público destacado pela sua sumptuosidade. Deste modo, as basílicas podiam ser tribunais, mercados ou outras instituições sociais. No Fórum Romano, por exemplo, existiram a Basílica Emília, a Basílica Opimia e outras.

Com o cristianismo, a partir do aval do Império romano à prática do culto, a ideia de basílica passou a estar relacionado com os espaços religiosos que é usado para celebrar as liturgias. Assim, à medida que avançou a história, o conceito ficou ligado às igrejas de maior importância ou transcendência.

Para a Igreja Católica Apostólica Romana, existem treze basílicas principais (seis menores e sete maiores) que foram as primeiras dentro da sua categoria. Estas basílicas dispõem de vários privilégios.

Uma das basílicas mais famosas do mundo é a Basílica de São Pedro, que se encontra no Vaticano. Com uma superfície de 2,3 hectares e uma altura de quase 45 metros, dispõe do espaço interior maior para uma igreja cristã. A sua cúpula sobressai no horizonte do território romano.

A veia basílica, por último, percorre o braço e drena sangue do antebraço e da mão. A sua trajectória é superficial em grande parte diz respeito à veia femoral para o desenvolvimento da chamada veia axilar.