Conceito.de

Conceito de capricho

A etimologia de capricho remete-nos para capricço, que é um vocábulo da língua italiana. Dá-se o nome de capricho a uma decisão ou uma exigência que é arbitrária e cuja origem se encontra numa vontade.

Por exemplo: “Não vou vender o meu carro por causa de um capricho teu”, “Estou farta dos teus caprichos!”, “A minha filha comprou uma carteira vermelha por capricho e nunca chegou a usá-la”.

O conceito também se aplica ao elemento, ao animal ou ao indivíduo que resulta ou é de um capricho: “Ao cantor o novo capricho custou-lhe trinta mil dólares”, “A modelo não passou de mais um capricho da estrela de Hollywood”, “Expliquei ao meu filho que os cães não são nenhum capricho”.

Para a psicologia, um capricho é uma ideia que uma pessoa desenvolve fora da lógica e do razoável. Trata-se de pensamentos que não se constroem com base em regras ordinárias e que, muitas das vezes, estão relacionados com o excêntrico.

Quando os caprichos são adoptados pelas crianças, tende-se a falar de birras. Um pequeno de 4 anos pode chorar e gritar se os seus pais não satisfizerem as suas vontades. No caso das mulheres grávidas, conhece-se pelo nome de desejos aquilo que se pretende satisfazer de forma caprichosa.

No âmbito da música, chama-se capricho a uma composição animada de carácter livre. Ainda existem os caprichos na arquitectura: neste caso, são elementos de decoração que surgem da imaginação e são usados em jardins.