Conceito.de

Conceito de catástrofe

Do latim catastrŏphe (o qual, por sua vez, deriva de um vocábulo grego que significa “ruína” ou “abalo”), o termo catástrofe diz respeito a um evento fatídico que altera a ordem regular das coisas. A catástrofe pode ser natural, como um tsunami, a seca ou uma inundação, ou provocada pelo homem, como uma guerra.

Uma das maiores catástrofes naturais a que se pôde assistir nos últimos tempos foi o tsunami que afetou o sudeste asiático em 2004, que causou a morte de cerca de 230.000 pessoas. Esse tsunami teve origem a partir de um terramoto de 9.3 pontos na escala de Richter, um número que faz dele o segundo maior terramoto desde que foi inventado o sismógrafo.

O conceito de catástrofe está associado ao de desastre. Trata-se de fenómenos que afetam negativamente a vida e que, por vezes, causam mudanças permanentes na sociedade ou no Ambiente.

Neste sentido, uma catástrofe é a mudança/transformação brusca do estado de um sistema dinâmico, que ocorre uma vez alterado algum dos seus parâmetros.

Por outro lado, uma catástrofe é uma coisa de má qualidade, que causa uma impressão negativa, que acaba mal ou que está mal feita. Por exemplo: “O concerto foi uma autêntica catástrofe: nada correu como tínhamos planeado”, “O meu irmão mais novo deixou a casa numa catástrofe”.

Em termos literários, a catástrofe é a última parte do poema dramático, com um desenlace que costuma ser doloroso. Em geral, a catástrofe é o desfecho desastroso da tragédia.

O termo catástrofe refere-se também a um gênero cinematográfico que mescla elementos de melodrama, enredo apocalíptico e também cenas de ação (muitas das quais com o uso de efeitos especiais para dar mais tensão para a cena).

Foi a partir de 1950 que os filmes desse gênero passaram a ser exibidos, narrando possíveis ameaças de erradicação da raça humana por meio de invasão de monstros, alienígenas, doenças, desastres naturais, entre outros.

A princípio, o termo usado para descrever esse tipo de gênero cinematográfico era “filme de fim de mundo”, contudo a origem desse termo é desconhecida, estando hoje mais em uso o termo “catástrofe” ou “filme de catástrofe”.

Nos filmes desse gênero de catástrofe são misturados fantasia e ficção científica, assim o roteirista pode abordar quaisquer temas que gerem pânico, tais como ataques de alienígenas, explosões nucleares, ataques de mortos-vivos, incêndios, colisões de cometas, desastres naturais como terremotos, maremotos, erupções vulcânicas, experiências científicas que dão errado, entre outros.

O filme “Aeroporto” de 1970, qual faz parte de uma série de filmes, é o primeiro longa-metragem que pode ser assim considerado como um filme de catástrofe, o mesmo tinha no elenco Burt Lancaster e também Jacqueline Bisset.

Na matemática, há chamada teoria da catástrofe que é um ramo da teoria da bifurcação relacionada ao estudo de sistemas dinâmicos, mas que também faz parte de um caso especial de teoria da singularidade na geometria. Essa teoria teve origem no trabalho do matemático francês René Thom na década de 1960, tendo se popularizado por conta dos esforços de Christopher Zeeman em 1970.