Conceito.de

Conceito de distopia

A distopia é uma representação imaginária de uma sociedade futura cujas características são indesejáveis. É, portanto, o oposto de uma utopia.

Enquanto uma utopia é uma sociedade ideal, uma distopia é uma sociedade negativa. Em outras palavras: utopia é um desejo impossível de realizar e distopia, uma possibilidade cuja realização deve ser evitada.

Numerosos escritores, ao longo da história, imaginaram distopias. Uma das sociedades distópicas mais conhecidas é a criada pelo britânico George Orwell (1903-1950) em seu romance “1984”. Orwell pensou em um mundo governado pelo Grande Irmão, constantemente presente na vida dos cidadãos. Na distopia orwelliana existe uma Polícia do Pensamento (que pune quem pensa coisas contrárias às aceites pelo partido no poder) e até uma novilíngua que elimina palavras que não deveriam ser pensadas.

“Fahrenheit 451”, do americano Ray Bradbury (1920-2012), é outro livro que apresenta uma distopia. Nesse caso, o escritor desenvolveu uma sociedade em que a função dos bombeiros é queimar livros, pois, segundo os governantes, eles geram angústia nos cidadãos e incitam a questionar a realidade. Dessa forma, se as pessoas não conseguem acessar os livros, ficam felizes.

Os filmes também costumam mostrar distopias. Uma das mais populares é a sociedade que George Miller imaginou em seu filme “Mad Max”: um planeta mergulhado no caos onde gangues de motociclistas controlam as estradas e enfrentam a Patrulha da Polícia Central.