Conceito.de

Conceito de ontologia

Escutar o artigo

A ontologia é a parte da metafísica que estuda o ser em geral e as suas propriedades transcendentes. Pode dizer-se que é o estudo do ser por aquilo que é e como realmente é. A ontologia define o ser e estabelece as categorias fundamentais das coisas a partir do estudo das suas propriedades, dos seus sistemas e das suas estruturas.

É importante ter em conta que a ontologia estuda os seres tal como são e não com base nos factos ou nas propriedades particulares que se obtêm das mesmas.

Entre as principais questões abordadas pela ontologia, destacam-se as entidades abstratas. Os números e os conceitos, por exemplo, entram no conjunto das coisas abstratas, ao contrário dos seres humanos, das mesas, dos cães e das flores. A ontologia questiona-se sobre que critério deve ser usado para estabelecer se uma entidade é abstrata ou concreta, tendo em conta que há entidades abstratas que não se sabe se existem.

O termo “ontologia” aparece em Ciência da Computação, em Sistemas de Informação e em Ciência da Informação. Aqui ele descreve um grupo de conceitos que estão dentro de um domínio e os relacionamentos existentes entre eles. E, assim, ela é usada com o intuito de fazer inferência nos objetos do domínio.

E alguns exemplos, nesse caso, onde ela é utilizada são: em engenharia de software, inteligência artificial, arquitetura da informação, entre outras. Tudo isso com o propósito de representar o conhecimento sobre o mundo ou sobre uma parte dele.

A ontologia também reflete sobre os universais (as propriedades ou os atributos). Estes referentes justificam a forma de se referir aos indivíduos: os ontólogos ainda debatem sobre a existência dos universais nas coisas ou na mente.

A distinção entre o mental e os processos físicos da mente constitui outro problema ontológico. O mental não costuma ser acessível do ponto de vista físico (uma ideia não se encontra como tal dentro da cabeça, pois surge na sequência de um processo físico); portanto, a sua existência ontológica não está provada.

Conta-se que o conceito de ontologia surgiu na Grécia Antiga ocupou a mente de filósofos e estudiosos como Aristóteles, Parmênides e Platão. Data-se de 1606 o registro mais antigo do uso desse termo (num registro latino), sendo que o mesmo aparece no trabalho de Jacob Loard que fora intitulado de Ogdoas Scholastica, alguns anos mais tarde, em 1613, esse termo também aparece no trabalho Lexicon philosophicum, de Rudolf Göckel.

A ontologia de domínio (do inglês “domain ontology ou domain-specific ontology”) representa o significado de um ou mais termos quais são aplicados num determinado domínio. Um exemplo aqui seria a palavra “pasta” que pode ter diferentes significados. Numa ontologia sobre o domínio do escritório, o significado desse termo poderia ser modelado como uma “um objeto usado para guardar documentos”, já uma ontologia da culinária poderia modelar seu significado como um “creme comestível” feito a partir de algum ingrediente como amendoim, por exemplo. Como uma ontologia de domínio representa conceitos distintos, então as ontologias não costumam ser compatíveis.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (25 de Janeiro de 2012). Conceito de ontologia. Conceito.de. https://conceito.de/ontologia