Conceito.de

Conceito de proposição

O vocábulo latino propositĭo chegou à nossa língua sob a designação de proposição (igualmente sinónimo de “proposta”), um termo que menciona o processo e o resultado de propor. Este verbo, no que lhe diz respeito, está relacionado com a realização de uma proposta ou a expressão de algo para que outras pessoas tomem conhecimento de uma intenção.

Exemplos: “A proposição da Clara surpreendeu-me: pedi-lhe uns dias para tomar uma decisão a esse respeito”, “O gerente sugeriu-me que transmitisse a minha proposição ao dono da empresa”, “Quero esclarecer que não houve nenhuma proposição por parte dos outros partidos políticos para conformar um governo de unidade”.

De acordo com o contexto, a noção de proposição pode ter diferentes alcances específicos. No que diz respeito à matemática, as proposições são enunciados que podem ser verdadeiros ou falsos. A verdade da proposição já pode aparecer demonstrada ou é precisamente aquilo que se pretende demonstrar.

Para a gramática, uma proposição é uma unidade lógica e semântica que conta com um sentido completo. Pode associar-se o termo à ideia de oração, embora com acepções diferentes.

Em todos os casos, pode-se dizer que uma proposição é uma entidade que acarreta um valor de verdade. Trata-se de uma construção lógica que é comunicada através da linguagem (seja coloquial, simbólico ou formal).

A filosofia sustenta que a proposição é um produto lógico que surge do próprio ato de enunciação que afirma ou nega algo. Em certas ocasiões, essa proposição pode ser equivalente a uma oração enunciativa, uma vez que carrega um único valor.

Um exemplo de proposição lógica poderia dizer que “Maria agora tem um coelho de estimação” e dizer que “Maria agora tem como animal de estimação um bichinho orelhudo branco que gosta de comer cenoura”, pois “bichinho orelhudo branco que gosta de comer cenoura” é a descrição de um coelho.

O que quer dizer que as duas sentenças acima são diferentes, contudo elas querem dizer a mesma coisa. Ou seja, elas expressam uma mesma proposição.

Uma característica da proposição lógica é que ela declara algo e pode ser atestada como sendo verdadeira ou falsa, isso quer dizer que ela não pode estar em acordo com as duas opções.

Como uma proposição é uma oração, ela precisa de um sujeito e um predicado. Ou seja, o sujeito é aquele ou aquilo de quem se fala e predicado é o que o sujeito faz ou encontra-se sujeito em determina situação (a informação sobre ele). Nesse caso, em sentenças como “Maria da casa ao lado” não pode ser considerada uma oração e nem tão pouco é uma proposição, uma vez que não existe predicado.

É importante ainda descrever que a proposição lógica divide-se em algumas categorias como o princípio da identidade formulado pelo filosofo Parmênides (onde algo é similar a si mesmo, sendo assim: verdadeiro é verdadeiro e falso e falso), o princípio que descreve que uma proposição pode ser apenas verdadeira ou falsa, sem um terceiro caminho (princípio do terceiro excluído) e, por fim, o princípio de não-contradição que descreve que uma proposição não pode ser verdadeira e falsa em simultaneamente.