Conceito de seguro de vida


Jan 02, 13

O seguro de vida procura garantir a protecção das pessoas que o segurado tem a seu cargo. Em caso de falecimento deste, os seus beneficiários ou herdeiros têm o direito a uma indemnização.

Esta indemnização chama-se capital segurado e pode ser paga de uma única vez ou em modo de renda financeira. Regra geral, os beneficiários são os familiares do segurado, embora também possam ser os seus sócios ou credores.

Os seguros de vida podem classificar-se de acordo com a sua duração (temporários ou para o resto da vida/vitalícios), o seu tipo de prémio (prémio nivelado, onde o pagamento é constante, e o prémio de risco, a qual aumenta de acordo com a idade do assegurado) ou a quantidade de segurados que cobre a apólice (seguros individuais, colectivos ou de várias cabeças).

As seguradoras afirmam que, graças à combinação da previsão e da solidariedade do sistema, o segurado obtém uma cobertura imediata por importantes quantias, inclusive quando as contribuições individuais são reduzidas.

Em alguns países, como os Estados Unidos, o seguro de vida não é só uma fonte de substituição de rendimentos, pois também permite pagar o saldo da hipoteca ou outras dívidas no momento do falecimento do segurado; pagar os impostos de sucessão; pagar os gastos funerários; prover fundos para a educação dos descendentes; e, inclusive, realizar doações de caridade.

Por outro lado, há apólices podendo ser beneficiados pelo segurado em vida, por exemplo complementando a jubilação (quando alguém que paga o seu seguro de vida durante muitos anos e chega à velhice sem ter de se preocupar com o bem-estar económico da sua família).